10 motivos para parar de fumar

postado em: Blog | 0

parar de fumar site

Hoje é dia Nacional do Combate ao fumo e nós, nos preocupamos muito com a sua saúde, por isso decidimos fazer um post com 10 motivos para você que fuma, deixar o vício e para quem não fuma, nunca começar. Confira:

  • Fumar envelhece. O tabagismo antecipa o surgimento de rugas, além de causar doença periodontal, que vai desde dor nas gengivas até perda dos dentes. Parar de fumar deixa a pele mais rosada e os dentes menos amarelados. Além disso, o tabagismo causa mau hálito.
  • Fumar prejudica o sexo. O tabagismo é uma das principais causas de disfunção erétil, ou seja, impotência sexual, além de diminuir a fertilidade.
  • Mulheres também têm seus motivos. Mulheres fumantes têm mais cólicas menstruais, e o tabagismo multiplica o risco de infarto agudo do miocárdio, derrame cerebral (AVC) e outros tipos de tromboses. Isso é tão grave que a partir dos 35 anos não se passa anticoncepcionais hormonais combinados (o tipo mais comum de pílula) para mulheres fumantes. Além disso, o tabagismo antecipa a menopausa em 12 a 18 meses, e aumenta o risco de osteoporose.
  • Quando antes, melhor. A expectativa de vida do fumante é de cerca de 10 anos a menos que dos não fumantes, e quanto antes a pessoa parar de fumar, mais anos de vida ela recupera. Quem para de fumar aos 30 anos recupera os 10 anos, e quem para de fumar aos 40 recupera 9.
  • É um dinheiro que nunca volta. De acordo com o IBGE, um fumante diário de cigarros industrializados gasta em média R$ 78,43 por mês com os cigarros. Isso dá quase mil reais por ano!
  • Está na moda parar de fumar. Novamente de acordo com o IBGE, em 2008 o Brasil tinha mais ex-fumantes (18,2%) que fumantes (17,2%), pelo menos entre a população maior de 15 anos de idade. E a proporção de tabagistas está caindo ano após ano.
  • É melhor prevenir que remediar:
    • Quando uma mulher para de fumar antes de engravidar, ou no primeiro trimestre da gravidez, seu risco de ter um bebê com baixo peso (abaixo de 2500g) é igual ao das não fumantes;
    • Parar de fumar antes de uma cirurgia diminui o risco de complicações operatórias. Quanto mais antecedência, melhor.
    • O risco de derrame cerebral normaliza 5 a 15 anos depois de a pessoa parar de fumar;
    • O risco de doença cardíaca coronariana (angina, infarto agudo do miocárdio) cai pela metade após um ano sem fumar, e normaliza após 15 anos;
    • O risco de vários tipos de câncer cai quando a pessoa para de fumar. Isso inclui câncer de laringe; câncer de bexiga; câncer de colo de útero (aquele do preventivo); câncer de boca, garganta e esôfago; e câncer de pulmão.
    • Outras doenças também têm o risco diminuído quando a pessoa para de fumar: doença pulmonar obstrutiva crônica (enfisema, bronquite crônica), úlcera de estômago e duodeno; e doença arterial periférica (entupimento das artérias que levam sangue para o corpo, especialmente para as pernas).
  • Nunca é tarde para parar de fumar. Quem para de fumar aos 50 anos de idade ganha 6 anos de vida a mais, e mesmo aos 60 anos, se a pessoa parar de fumar, ganha 3 anos de vida além daqueles que já viveria normalmente. Os idosos conseguem parar de fumar com quase a mesma facilidade que os jovens, e têm menos recaídas. Além disso, em todas as faixas etárias existe o ganho de qualidade de vida.
  • Parar de fumar melhora a qualidade de vida. Quando a pessoa para de fumar, o olfato e o paladar melhoram, além do sono, apetite, humor, auto-estima, disposição física e a qualidade de vida como um todo.
  • Doença é mais um motivo para parar de fumar. Caso a pessoa tenha câncer, cessar o tabagismo diminui os efeitos colaterais da quimioterapia e da radioterapia, aumenta a expectativa de vida, diminui as chances do câncer voltar, diminui as chances de outro câncer aparecer, e, pelo menos no câncer de pulmão, aumenta as chances de cura. Fora o câncer, as outras doenças causadas pelo cigarro não são curáveis, mas podem ser controladas através da cessação do tabagismo. Por exemplo: em todo o mundo a respiração melhora cerca de um mês após a pessoa parar de fumar, mas no caso de quem tem asma ou DPOC (doença pulmonar obstrutiva crônica), o efeito é mais drástico e, muitas vezes, imediato.

Está convencida? Boa sorte no processo, estamos aqui para te ajudar. E nos conte como foi!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *